Quais são os limites do progresso da humanidade na formação de uma sociedade internacional? As instituições internacionais podem consolidar a paz entre as comunidades políticas no mundo?

Foi publicado para a comunidade lusófona no primeiro semestre de 2016 uma obra teórica que aborda esta problemática. O livro a Sociedade Anômica explora a formação e o desenvolvimento da sociedade internacional para estabelecer um novo paradigma teórico: a anomia na ordem internacional.

A Sociedade Anômica propõe a compreensão do espaço internacional explorando os limites do progresso da humanidade na formação de uma sociedade internacional.

Partindo de conceitos sociológicos desenvolvidos por Émile Durkheim e Robert Merton, o livro sugere a existência de uma condição de anomia no cenário internacional.

A sociedade internacional contemporânea estipula objetivos que não possuem normas e instituições apropriadas para regular e controlar o alcance destas metas.

Assim, diante da impossibilidade de atingir estes objetivos, os atores internacionais frequentemente desconsideram as organizações internacionais ou as normas estabelecidas pela sociedade internacional.

Tal realidade gera uma condição de anomia na ordem internacional, criando um estado de normalidade no uso da violência e na prática de ilegalidades no cenário internacional.

Deste modo, a anomia da ordem na política internacional impõe limites para o progresso da sociedade internacional contemporânea, estabelecendo a recorrência dos conflitos em um mundo constrangido pela impossibilidade de execução das metas estipuladas pela sociedade internacional.

Por consequência, instituindo a legitimidade do uso da violência nas relações internacionais e explicando os contínuos avanços e retrocessos na história do espaço internacional. Igualmente, expondo razões para o dualismo entre a paz e a guerra, bem como, suscitando limites para a capacidade de desenvolvimento da atual sociedade internacional.

A Sociedade Anômica (frente pequena)

A obra Sociedade Anômica pretende estabelecer um marco teórico nas Relações Internacionais, atendendo a uma demanda da academia lusófona por publicações de obras teóricas em língua portuguesa.

A crescente oferta de cursos e atividades acadêmicas na área de Relações Internacionais em Angola, Brasil, Cabo Verde, Moçambique, Timor Leste, e em toda a comunidade lusófona, demanda, mais do que nunca, o desenvolvimento de ideias originais no campo das teorias das Relações Internacionais neste ambiente.

Desta forma, a Sociedade Anômica figura como uma significativa expressão do pensamento sobre a Política Internacional, atendendo a uma exigência do atual estágio das Relações Internacionais, e suprindo acadêmicos de língua portuguesa com pensamentos inéditos sobre a ordem no ambiente internacional.

Confira mais detalhes da obra em: www.sociedadeanomica.com

Ou ainda: www.chiadoeditora.com